NOVOS ARTIGOS ABAIXO
LENDO
Os traficantes da facção ADA do Morro da Caixa D'água em São João de Meriti se cansou de tomar baque e revidaram.

Há meses os rivais do CV tentam retomar as bocas na Caixa D'água em SJM. Sempre indo e voltando, guerreando e retornando.

Agora tomaram uma medida para responder os ataques do CV, e enviaram reforços do Complexo da Pedreira (ADA) em Costa Barros, para contra-atacar o CV em SJM.

Entraram na comunidade do Fumacê (CV), fardados com roupas parecidas com a do BOPE, para amedrontar os rivais.

Logo os rivais do CV perceberam que não eram os agentes do BOPE, e começaram a confrontar o bonde de traficantes do ADA.

Conseguiram chegar na localidade conhecida como "Quadra da Maria Alice", mas de lá não passaram.

Logo foram cercados pelos bandidos do CV, que conseguiram expulsar os rivais de dentro do Fumacê.


Os moradores relataram que os traficantes do ADA entraram no Fumacê (CV) para passar a mensagem que "não estão" mortos em São João de Meriti.

Mas se deram mal, pois entraram sem conhecimento nenhum da geografia favela rival, e acabaram caindo num setor que era difícil sair.

Segundo informações, foi visto manchas de sangue no local do confronto, e pelo menos dois traficantes do bonde do ADA saíram carregados pelos comparsas.

Claramente os bandidos da Caixa D'água (ADA) tomou um prejuízo nesse baque na comunidade do Fumacê.

Disseram que essa guerra terá mais capítulos, e como o ADA esboçou uma reação, pode durar mais dias, semanas ou quem sabe meses.

Vamos aguardar.
Há meses o conjunto de comunidades do São Carlos (ADA) no Estácio, vem passando por uma turbulência administrativa na sua facção.

Falta de pagamentos em dia, soldados abandonando o cargo, soldados optando por trocar de facção, vem acontecendo com frequência na região central.

Um Complexo conhecidíssimo, com bandidos que fizeram parte da história criminal do Rio de Janeiro, assim como o Adilson Balbino, Gangan, Aritana e etc. 

Ambos chefões que já ocuparam o cargo maior na hierarquia do tráfico, e foram uma dor de cabeça para os rivais do Comando Vermelho.

Só que nos dias atuais, não conseguem manter o medo e principalmente, impor o respeito para os rivais de muro.


Com a maioria da hierarquia do São Carlos detida, o homem que foi encarregado de seguir adiante com os andamentos do tráfico, é o traficante Marcelo Bernadino da Fonseca, o Mantena ou Limão.

Conhecido pela policia, e principal alvo nas operações que ocorrem no Complexo do São Carlos.


Limão faz as leis impostas pelos traficantes Coelho (Dono) e Lindinho (arrendatário), ambos os líderes das comunidades que compõem o Complexo do São Carlos.

Na companhia do seu irmão de vulgo “Canela”, ambos vem liderando por anos, após a prisão do comparsa Coelho.

Só que nem tudo são flores para o Lado do Limão.

Ultimamente o tráfico no São Carlos vem passando por problemas, que podemos dividir entre, enfrentar a UPP, enfrentar a cobiça dos rivais do CV, e enfrentar a revolta dos funcionários da boca.


Informações que chegam do São Carlos, apontam que o Limão é um péssimo administrador. Ele visa arrecadar mais do que pagar. Uma atitude que deixou os funcionários da boca insatisfeitos, e com alguns soldados, tomando medidas drásticas, como trocando de facção e integrando o Comando Vermelho.

Até no Morro da Mineira (ADA), um reduto que o Limão tem pouca voz, já teve relato de soldados que fugiram do morro, levando inclusive o armamento da boca de fumo.

Depois do ocorrido, o traficante Lindinho ou Foca, até ordenou que alguns armamentos fossem deslocados ao Morro do Juramento (ADA), seu novo reduto em Vicente de Carvalho. Visando não desfalcar o seu poder bélico.

Com o passar do tempo os líderes do Complexo do São Carlos racharam em suas decisões.

Retiraram o Limão do posto de “número 1” do São Carlos. Deslocaram seu irmão “Canela” para os redutos da facção em Macaé, e entregaram o cargo de chefe ao traficante conhecido como “Larraia”.


Larraia já é peça antiga no São Carlos. Era integrante do grupo do traficante Adilson Balbino, e chegou a ocupar o cargo de gerente-geral para o traficante Roupinol, na época que ele dividia as comunidades do São Carlos com o Coelho.

Para o lado do Limão, sua administração já vinha sendo contestada até em outros redutos do ADA.

Já foi retirado do conjunto de favelas em Macaé.

Já foi retirado da hierarquia dentro do Morro do 18 em Água Santa.

E já pediram para ele se retirar do Morro do Urubu em Pilares.


No entanto, mesmo rebaixado dentro do Complexo do São Carlos, ele continua comandando o tráfico na pequena localidade da Laura, onde arrecada milhões com as vendas de drogas.

Sendo assim, a hierarquia do Complexo do São Carlos aspira para dias melhores para a facção ADA. Em meio a essa crise do tráfico, ficam os moradores “de bem”, que aspiram principalmente por dias melhores sem violência, bala perdida e PAZ.


Vamos aguardar.
Os agentes do BOPE quebraram tudo na favela da Vila Aliança (TCP) em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Entraram na comunidade para coibir o tráfico de drogas do Terceiro Comando Puro.

Se tratando de Senador Camará e Bangu, operações desse porte já é comum.

Nesse caso em especial, o BOPE feriu sete pessoas, mas apenas quatro tinha envolvimento com o tráfico de drogas na Vila Aliança.

Os feridos foram levados para o Hospital Albert Shweitzer, em Realengo, mas chegaram mortos no hospital. Inclusive um morador que foi atingido no momento da operação.


Na operação foram apreendidos 1 fuzil calibre 556, uma espingarda calibre 12, 2 pistolas 9mm, nove carregadores de pistola, um carregador de fuzil, mais tabletes de Maconha e frascos de lança perfume.

No vizinho Complexo da Coréia (TCP) também houve uma pequena operação da CORE, mas sem resultados consideráveis.

Operação na Vila Aliança com mortos e feridos?

Já tá ficando normal!
Equipes do GAT do 15º BPM de Caxias, deram um golpe considerável na facção Comando Vermelho da Baixada.

Foram averiguar uma denúncia de veículos roubados na região do Jardim Gramacho.

Quando chegaram no local, se depararam com dois indivíduos portando um fuzil, e cada um em cima de uma moto.

Houve um confronto entre eles, e os dois homens foram mortos pela equipe do GAT.

Quando foram verificar quem eram os indivíduos, se tratava do homem mais importante na hierarquia do tráfico em Duque de Caxias.

Se tratava do traficante conhecido como "Zangado" ou "Playboy" do Parque das Missões. Dono do tráfico no Barro Vermelho, assim como na Favela do Danon.


Tinha preço no Jd Gramacho, Dois Irmãos e no Parque das Missões, e era encarregado de administrar o tráfico para o Fernandinho Beira-Mar.

Recebeu esse cargo depois que o traficante Marcelinho Niterói foi morto no Parque União (CV) em Novembro de 2011.

Dizem que os bandidos iriam comemorar a festa de aniversário do Beira-Mar em Duque de Caxias, mas depois da perda no grupo, as comunidades permaneceram de luto.

Segundo informações, os bandidos prometeram revidar na região.

Vamos Aguardar.
Quem se lembra das tentativas do Comando Vermelho em retomar o Morro do Jorge Turco (ADA) em Rocha Miranda?

Então, faz tempo que o CV não tenta algo na comunidade, mas agora essas tentativas podem esfriar ainda mais.

Segundo as informações do noticiário Favela Tem Voz, os policiais do 40º DP (Honório Gurgel) efetuaram a captura do traficante conhecido como Banana.

Banana seria o traficante que arrancou o braço do rival W.L, com um tiro de fuzil, antes mesmo do ADA retomar o Jorge Turco.


Até hoje existe uma rivalidade entre os dois traficantes.

Banana teria sido interceptado na saída da favela da Galinha (CV) em Inhaúma. Quando estaria se deslocando até a favela da Palmeirinha (CV) em Honório Gurgel.

Se o CV quase não botava os pés no Jorge Turco, agora, ficará mais difícil a retomada.


E parece que desistiram de "invadir" nas quintas-feiras.

Enquanto isso, o Morro do Jorge Turco (ADA) permanece sob o comando da facção ADA, na liderança dos traficantes W.L e Hip Hop, oriundos da comunidade.


Mas sempre prestando contas aos traficantes Arafá e Playboy. Os verdadeiros chefes no Morro do Jorge Turco.

Já começaram a fazer os grafites com alusões ao ADA, e principalmente, riscando as siglas do CV que existiam em vários muros do morro.
Hoje os Policiais Militares do 41º BPM (Irajá) foi até o Complexo da Pedreira (ADA) em Costa Barros, para coibir o tráfico e os constantes roubos que acontecem na região.

No Morro da Pedreira (ADA) aconteceu um confronto, e um traficante foi morto e um outro foi ferido no tiroteio. Foi encaminhado para o Hospital Carlos Chagas em Marechal Hermes.

Com eles, apreenderam 1 pistola, 2 radiotransmissores, granada e uma bomba de fabricação caseira.

O Esquadrão Anti-Bombas foi chamado para desarmar a Bomba Caseira, que tinha um alvo, que era acertar o veículo blindado da policia.

Essa operação foi registrada no 39º DP (Pavuna).

Fonte: G1
Foram na intenção de principalmente, recuperar veículos, motos e quem sabe, reprimir a quadrilha de assaltantes do Complexo da Pedreira (ADA).

Já são conhecidos, e aterrorizam as cargas nas principais vias da região.

Como já comentado na divulgação do último vídeo sobre os roubos, onde um grupo da Pedreira assaltou um caminhão e descarregou na Favela da Quitanda (ADA) em Costa Barros.

Dizem que hoje, roubar é a principal atividade dos bandidos da Favela da Quitanda, pois as bocas de fumo não estão dando os lucros desejados.

Para tampar o rombo financeiro, eles adotaram a prática de realizar roubos, mas com poucos critérios. Tudo que passa na frente o grupo da Quitanda está roubando.

Sempre com consentimento dos líderes da favela, os traficantes conhecidos como 500, Peludinho e Tiroteio.

Atitude reprovada entre os líderes das comunidades restantes do Complexo da Pedreira, Reprovada também pelo traficante Playboy, o líder com mais visibilidade no complexo.

Qualquer roubo que os comparsas da Quitanda fazem na região, automaticamente é atribuído na extensa ficha criminal do Playboy.

Como já ouvimos no último áudio, no qual ele participa da conferência com os rivais do Chapadão. Chamar a mídia para si, é a ultima coisa que o chefão do tráfico quer.

Normal.
Complexo do Chapadão é um conjunto de comunidades que hoje se tornou o Quartel General da facção Comando Vermelho.

Uma grande área da zona norte, que pega mais de quatro bairros e com inúmeros morros, favelas e ruas e etc.

Pela importância atual no CV, o Complexo do Chapadão já ganhou um artigo na seção "Complexos do Crime" (Leia Novamente). Ele se tornou decisivo nos negócios da facção, principalmente dentro da cidade do Rio de Janeiro.

Mas grandes poderes, grandes responsabilidades.

E no crime, isso é levado á risca.


De cabeça, podemos contar que somente dentro do Complexo do Chapadão, participam as seguintes comunidades;

... Morro do Chapadão, Job, Torres, Coronel Moreira Cesar, Bomba, Manhama, Sem Terra, Himalaia, favela da Linha, Novo Paquistão, Bom Tempo, Cova da Onça, Suvaquinho, Gogó de Guadalupe, Final Feliz, Criança Esperança, Pedra Rasa, Madama, Tiradentes e Rua Camboatá, e por ai vai..

Esse emaranhado de comunidades, hoje, foram o poderoso Complexo do Chapadão.

Esse Complexo tem poucos anos de existência, e foi formado recentemente, devido as seguidas ocupações nas principais áreas do Comando Vermelho.

O problema maior desse complexo, que leva a bagunça desenfreada e julgamentos que levam á morte inclusive de "frentes" e Gerentes, é a falta de obediência e respeito.

É aquele famoso ditado. " - Muito Cacique pra Pouca Tribo ".


Mesmo existindo quase 20 comunidades, existem poucos líderes para tomar conta, muitos gerentes e muita disposição de ambos os lados e visão em "lucros rápidos".

A liderança do Complexo do Chapadão é dividida por igual, ou seja, cada dono toma conta da sua porte e não mete a "colher" na parte do próximo.

Por exemplo, no Morro do Chapadão, Jobe, Torre e Bomba, são dos traficantes FB e Nando Bacalhau. Ambos presos.

No Morro do Chapadão o dono é o famoso Fabiano Atanásio, o FB do Complexo da Penha.

Antigamente, antes de virar esse complexo enorme, quem levantou o "tráfico" no Morro do Chapadão foram os aliados do FB, e incluindo o Nando Bacalhau.


Bacalhau ficou de frente do Chapadão por anos, pois o FB nada queria por ali. Seu negócio era ficar na poderosa Penha, e por vezes, dá um pulo no Morro do Juramento, onde dividia o morro com o comparsa Macarrão (preso).

Sendo assim, Bacalhau se juntou com os melhores soldado da sua confiança, e juntos, foram expandido o controle até o Job, Torre e Bomba. Tudo que era próximo ao Chapadão eles começaram a controlar.

Até então, tudo que era a depois da mata do Miguel, ou era controlado por um pequeno grupo da Milicia, ou era abandonado.

Com a expansão das UPPs, praticamente os bandidos tiveram que expandir, e a região da Pavuna, Costa Barros, Guadalupe, Anchieta e Ricardo Albuquerque foi o alvo.


Com autorização do Nando Bacalhau, o traficante Davi começou a expulsar as Milicias das áreas de Anchieta e Guadalupe. Dominou as favelas da Tiradentes, Final Feliz, Madama e Pedra Rasa.

Ali se tornou o seu reduto, e principalmente, o abrigo de fugitivos do Complexo da Penha.

A região ficou diferente para os moradores de bem. Antes era esquecido, depois da expansão comandada pelo Davi, era possível ver barricadas, homens armados e bocas de fumo até próxima as escolas da região.

A região ficou perigosa, e a policia começou a agir.

Se na costa Oeste o Davi que mandava, na costa Leste, no coração do complexo do Chapadão. Quem mandava era o Bacalhau e assim seguiu durante anos.

A bagunça realmente começou, quando outros traficantes do Comando Vermelho começaram a investir nas localidades esquecidas de dentro do Complexo.


Até bandido do Morro da Mangueira quis colocar sua "boca de fumo" por lá, e ficou insustentável.

Por exemplo no conhecido Gogó de Guadalupe. Um reduto dominado pelos rivais do ADA, onde o chefe era o traficante Chocolate. Eles abandonaram o morro para milicia, em seguida, o grupo do Chapadão retomou.

Só que, esse grupo não eram oriundos da região. Eram grupos que estava abrigado no Job e na Torre, e eram fugitivos da Parada de Lucas e Vigário Geral.

Para não inflar o Morro do Chapadão, o Bacalhau ordenou que fizessem a expansão, e assim foi feito. Sob comando do traficante L.O, eles retomaram o Gogó e negociaram o Job, para abrigar mais comparsas de fora.

Até o Davi foi envolvido nessa negociação, pois ele dividia os lucros do Final Feliz com o Bacalhau, e ao mesmo tempo era sócio nas bocas no entorno do Chapadão.

Para deixar a divisão igualitária, e praticamente sacramentar o território de cada um, ele aceitou larga tudo que tinha próximo ao Chapadão, e ganharia o Final Feliz e adjacências 100% para ele.

E isso aconteceu!


Os negócios começaram a apertar na região, quando o traficante L.O morreu num tentativa de invasão a Parada de Lucas, e sua parte ficou sem dono.

Como o Bacalhau e o Davi não queria desconforto na facção, praticamente deixaram livre pra quem quisesse pegar. Foi nessa que entrou o traficante Dando da Mangueira, e vários outros que são desconhecidos até o momento.

Foi onde tudo começou. Mais de 15 comunidades, com 4 ou 5 donos, e cada um com a sua ideologia. A tendencia era que batessem cabeça, e isso aconteceu!

FB foi preso, Bacalhau foi preso, e para não deixar livre os redutos do Chapadão, foi redirecionado para região o traficante Binho do Engenho, conhecido também como Bin Laden.

Ele cuidaria do Morro do Chapadão, mas deixaria os bandidos FB e Bacalhau ciente de toda a movimentação e lucros das bocas.

Ao mesmo tempo praticamente, a cúpula do CV redirecionou os traficantes Fú e Claudinho da Mineira para cuidar do Morro do Chapadão também.

Resumindo, ficaram 3 donos para menos de 4 redutos, onde nem todos dão lucro. Imagina só!

A missão do Fú e do Claudinho era somente cuidar da facção, e a missão do Binho era administrar as bocas e fazer o papel de frente.

Nesse remanejamento, os lucros começaram a ficar muito rateado, e até os pagamentos para os donos estavam atrasando. Porque, primeiro resolviam nas ruas, pra depois repassa para cadeia.

Até que a Policia começou a dar atenção ao Complexo do Chapadão. Muito pelos excessos de roubos na região, que na maioria das vezes eram feitos pelos amigos do outro lado do Complexo, o grupo do Davi e a bandidagem da divisa do Complexo.


Por alguns meses a liderança do Morro do Chapadão não ligava para os roubos, até que o cerco começou a fechar até pra dentro do Chapadão, irritando todos os líderes.

Eles adotavam as regras de não roubar próximo ao Morro, e se tivesse que fazer, fariam fora da Pavuna e Costa Barros, para não chamar atenção da mídia e das autoridades.

Como já vimos, esse plano não deu certo.

Davi foi capturado pela policia, praticamente os seus territórios ficaram jogados pra qualquer um administrar, e os roubos aumentaram drasticamente.


Roubos, Roubos e mortes, chamaram atenção da Segurança Pública e avançou um projeto de UPP para o Complexo do Chapadão.

Tudo que a liderança do Comando Vermelho não queria, vai acontecer!

Hoje, eles evitam ao máximo de chamar policia para o morro. Mas é aquilo. Se os Morro do Chapadão e adj. respeitam, os comparsas de Anchieta, Guadalupe e Gogó passam por cima de tudo.

Prova disso foi a execução do traficante conhecido como Cabeça. Ele liderava o tráfico no Gogó e na Manhama, e foi submetido ao tribunal do tráfico no Chapadão.


A liderança do Chapadão (Fú, Claudinho e Binho) já estava querendo a cabeça do cabeça (ironia). Ele passava por cima das ordens de cima, e como cuidava das bocas para o Dando da Mangueira, achava que era somente pra ele que deveria dar satisfações.

Pois é, a cúpula não entendeu dessa maneira!

Depois de seguidos roubos de cargas pequenas, veículos e motos. Todos passando pelo Chapadão até o seu reduto na Manhama.

Os bandidos do Chapadão se enfureceram, pois os soldados do Cabeça furtaram um caminhão de Gás. Passaram por dentro do reduto do Binho, mesmo sem autorização.

Sabedores que iria chamar uma operação, a liderança do Chapadão entrou em contato e ordenou que tirasse a carga de dentro do Complexo.

Novamente o Cabeça bateu de frente com eles, e sacramentou seu fim dentro do Complexo.


Com autorização de cima, entraram na Manhama, desarmaram todos o seguranças e soldados do Cabeça, e executaram ali mesmo, em seguida, jogaram fogo no corpo e abandonaram fora do Complexo.

Avisaram para os soldados que era somente "uma cobrança", e quem tivesse contra, era pra se revelar na hora. Obviamente ninguém se interpôs aos líderes do Chapadão.

Essa é apenas uma das várias histórias de briga interna que existe dentro do Complexo do Chapadão.


A mais conhecida é o famoso áudio entre os traficantes Playboy, Fú, Claudinho e Binho, onde os soldados do Gogó e o próprio Cabeça entraram na conversa, e desrespeitaram a reunião dos comparsas.

O Futuro do Complexo do Chapadão não promete ser dos melhores. Uma hora a "Bomba relógio" irá estoura, ou a Policia acabará com tudo, colocando uma UPP nas comunidades do Complexo.

Uma coisa é certa. Quem vive nos bairros de Guadalupe e Anchieta, se queixa dos excessos de roubos que acontecem na região, coisa que é rara de se ouvir lá para os lados da Pavuna e Costa Barros.

Por que será?

Diante a esse extenso texto, deixa seu comentário e opinião abaixo.
Ontem a noite os Policiais do 41º BPM (Irajá) realizaram uma operação no Morro do Chaves (ADA) em Barros Filho.

Durante a operação os policiais estavam averiguando setores e abordando suspeitos, até que encontraram dois homens com atitudes suspeitas dentro de um carro.

Foram abordados, e dentro do carro foram encontrados um radiotransmissor, carga de cocaína e 2 tabletes de Maconha.

Foram levados no barraco próximo ao local do que estava o carro, e nada foi encontrado.


Os homens seriam moradores do Morro da Pedreira (ADA) em Costa Barros. Inclusive, um dos presos tem a nacionalidade Angolana.

Os materiais e os presos foram encaminhados a 39º DP (Pavuna).

Faz tempo que não víamos noticias sobre o Morro do Chaves, que há pouco tempo foi invadido e tomado pela facção Amigo dos Amigos (ADA).

Por lá, quem dá as ordens são os traficantes Playboy e Arafá, mas dificilmente os dois vão na comunidade.

Uma meta futura do Comando Vermelho é retomar os esquecidos Morro do Chaves, Proença Rosa e Mundial. Comunidades que foram esquecidas pela facção, e facilmente tomadas pelos rivais do ADA.
Coisa de Loco hein!

A Policia está bem de olho nessa transição entre traficantes da facção ADA de Macaé, com os comparsas no Rio de Janeiro.

Capturaram mais envolvidos nesse transporte de dinheiro e arma entre Rio e Macaé, mas agora, segundo a mídia, eles saíram do Complexo da Pedreira (ADA) em Costa Barros, na zona norte, e estavam a caminho de Macaé.

Para surpresa dos Policiais Militares do 32 BPM (Macaé). Entre os envolvidos, estava um Policial Militar.

Eles estavam transportando 1 pistola, 5 celulares e 87 mil reais em espécie.

Divulgação: odia.ig.com.br/
Segundo a própria Policia, a ação só aconteceu através de uma informação que chegou até o batalhão em Macaé.

Que interceptou o veículo na RJ-168, ainda em Macaé.

No veículo, estava o Policial Militar, que era lotado no 23º BPM (Leblon), e um jovem de 26 anos.

O Policial afirmou que a quantia em espécie estava saindo da Nova Holanda de Macaé (ADA), e o destino era o conjunto de comunidades do Complexo da Pedreira (ADA).

Ambos responderam por associação ao tráfico de drogas e porte ilegal de arma de uso restrito. O Policial também é reincidente, pois já cumpriu pena no Batalhão Especial Prisional (BEP) da Policia Militar.

Mas que poucos notaram, é essa transição entre a Nova Holanda (ADA) até a Pedreira (ADA), haja visto que são comunidades de donos diferentes, e com pouca relação de amizade.

Quem dá as cartas em Macaé, pelo menos na parte que é atribuída á facção ADA, é o traficante Lindinho ou Foca, detido desde 2011.
Em Fevereiro desse ano, relatamos de acordo por denúncias dos moradores, que uma jovem foi baleada dentro do Conjunto Amarelinho (TCP).

Em seguida, os bandidos colocaram ela dentro de um táxi, que levou até o pronto socorro mais próximo.

A Divisão de Homicidios prometeu investigar, e o caso morreu por ai, pois não tinha muitas provas e nem testemunhas pra seguir adiante.

É bem assim que funciona o tráfico no Complexo do Acari (TCP). Eles buscam solucionar o caso por si só, sempre fugindo dos olhos da mídia.

O Caso foi reaberto.


Uma testemunha enviou uma carta anônima para redação da TV Record.



Denunciando o bandido que efetuou o disparo na jovem garota, e como ocorreu o crime.

A jovem Kathelyn foi baleada pelo namorado acidentalmente na cabeça. O traficante conhecido como Jeffinho.

Jeffinho. Autor do disparo.
Como o traficante Rogério 300 (chefe) não queria a mídia dentro do Conjunto Amarelinho (TCP) ordenou que o corpo fosse levado pra longe, em seguida, expulsou o traficante do seu reduto.

A garota acabou falecendo, e o Jeffinho foi expulso.

Mas a policia vai investigar o paradeiro do assassino!


Hoje foi dia do sufoco pra cima da facção Terceiro Comando Puro, dentro do Complexo da Maré.

Vários departamentos fizeram um cerco, que começou no Baixa do Sapateiro e Morro do Timbau. Depois estenderam pra Vila do Pinheiro e Vila do João.

Na Baixa do Sapateiro (TCP), os policiais do BAC encontraram uma grande quantidade de drogas e munições dentro de um setor. Uma pessoa foi detida.

Na Vila do João e Pinheiro apenas vasculharam alguns setores.


Mas sobrou até para a facção do Comando Vermelho, onde o BOPE entrou na comunidade da Nova Holanda.


Conseguiu apreender uma réplica de pistola e Fuzil, mais munições, drogas, rádios e dinheiro. Inclusive recuperaram carros e motos.

No total, três pessoas foram detidas nessa ação dentro do Complexo da Maré.

É apenas o começo!
Capturaram nessa quarta-feira o bandido que é acusado de participar na morte do ex-traficante Tuchinha, integrante da ONG Afro Reggae.

Conhecido como Palhacinho, ele já tinha envolvimento em diversos crimes, e também por ter participado dos disparos contra os Policiais no Morro da Mangueira (CV).

Com isso, somando os seus crimes, ele recebeu seis mandados de prisão expedidos pela Justiça do Rio de Janeiro.

Palhacinho. Fonte: http://extra.globo.com/
Já estava com Status no Comando Vermelho, depois de participar da execução do Tuchinha.

A policia seguiu os seus passos e rastros criminosos. Finalmente conseguiram efetuar a prisão do Palhacinho.

Ele foi encontrado em Nova Iguaçu na Baixada Fluminense.

Na abordagem, o Palhacinho estava portando uma pistola e um carregador.

Quem lembra dessa história?

Na época, os líderes do Comando Vermelho queriam o controle total do Morro da Mangueira (CV), assim que o ex-traficante Polegar anunciou sua saída da facção e do crime.

Os bandidos da família do Polegar se negaram em entregar o morro para o traficante Marcelo Xará, e obviamente, abriu uma guerra com parte do Comando Vermelho. A parte da liderança.

Ordenaram que matassem o Tuchinha, por ser parente próximo do Polegar, em seguida, que expulsassem os traficantes os frentes da Mangueira.

Essa briga interna ocasionou uma guerra interna por meses, que até teve envolvimento do Terceiro Comando Puro (TCP) na comunidade.

Por alguns dias a comunidade ficou sob controle do TCP, mas optaram por sair e perderam o controle do morro facilmente para os traficantes que continuaram no Comando Vermelho.

Hoje está tudo calmo na Mangueira.
Poucos dias de "Complexo da Maré" sob comando da Policia Militar, já relatam medo de ficar dentro do conjunto de comunidades dentro da Maré.

A ousadia das facções assustam os Policiais Militares, como bandidos andando de fuzil pra cima e pra baixo, de moto ou a pé. Sempre escoltando os Policiais.

Já estavam sem nenhum pingo de medo dos Militares do Exército, já era de imaginar que também não temeriam a Policia Militar.

Os policiais criticaram a ocupação com falta de estrutura, além de usarem armas "velhas e antigas", agora estão com um efetivo de menos de 70 policiais. O Exército ocupava com mais de 200 homens, e veículos militares preparados. Não dá pra comparar!

Deu no Odia Online esse áudio interessante.



Nesse relato o Policial Militar fala como foi a situação de bater de frente com um bonde de traficantes perto do 22º BPM (Maré). É interessante.

Pelo conteúdo do áudio, eram traficantes do Terceiro Comando Puro do Morro do Timbau, onde estariam monitorando o Exército para atravessar para Vila do Pinheiro (TCP).

Realmente a situação com o Exército já era ruim, com os Policiais Militares sem estrutura, será bem pior.

Beltrame já cogita aumentar o cinturão de segurança. Começaria no Complexo do Caju (ADA) e contornando o Complexo da Maré. Principalmente na área do TCP.

Assim como nós. Eles temem uma possível guerra de facções dentro do Complexo da Maré.

Agora que a segurança diminuiu e não tem mais o Exército fortemente armado para evitar a guerra.

Triste!
A Dcod prendeu hoje o responsável pelo tráfico na comunidade da Parada Angélica (CV), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Mariano de Souza (34 anos) ou conhecido como Chapoca, é apontado como o chefe do tráfico em Duque de Caxias, fazendo a transição com o tráfico no Complexo da Penha (CV) na zona norte do Rio de Janeiro.

Ele foi capturado na localidade conhecida como Beco da Rainha, que fica na Vila Cruzeiro (CV), dentro do Complexo da Penha.

Ele já estava sendo caçado pela policia, pois é considerado Foragido do Sistema Prisional, por condenações por tráfico e porte ilegal de armas de fogo.

Fonte: extra.globo.com
E por falar em Parada Angélica.

Para quem lembra, há pouco tempo os traficantes do TCP e CV guerrearam pelo controle das comunidades da Parada Angélica e Imbariê, em Duque de Caxias.

Por algum tempo o TCP prevaleceu na região, mas contaram com uma traição entre os amigos.

Os traficantes que já tinha trocado o CV pelo TCP, quase no fim da guerra optaram por retornar para o CV e decretar o fim dos confrontos.

Hoje quem comanda o tráfico em Santa Lúcia, Parada Angélica e Imbariê, são os traficantes ligados ao Fernandinho Beira-Mar, o "matuto" influente dentro da facção Comando Vermelho.

Dificilmente o Terceiro Comando Puro tentará algo novamente em Santa Lúcia.

Fonte: Extra.globo.com
Como divulgado desde ontem, hoje era o dia para o Exército deixar o Complexo da Maré, na zona norte do Rio de Janeiro.

Oficialmente a Força de Pacificação se retirou ao meio dia de hoje, passando o bastão para os Policiais Militares da região.

Até que finalmente instalem as unidades da UPP, que no total, serão 4 bases espalhadas entre os principais pontos do Complexo da Maré.


Por enquanto a Policia Militar e Civil usará o serviço de inteligência, arquitetando um cinturão de proteção no entorno do Complexo da Maré.

Os Militares deram um saldo positivo nessa operação de Pacificação no Complexo da Maré.

Será?

Assista a matéria realizada pelo Balanço Geral:





Eu acho muito precipitado essa troca imediata.

Só o tempo irá dizer!
Não é de hoje que a quadrilha do Complexo da Pedreira (ADA) ganha muito dinheiro realizando assaltos na Pavuna e adjacências.

O alvo dos bandidos são as cargas de Cigarro.

Uma carga roubada, pode auferir em mais de R$ 200 mil reais para a quadrilha, se comercializada no mercado negro do Rio de Janeiro.

E desse lucro o traficante Celso Pinheiro Pimenta – Playboy - vem aumentando seu poder bélico, e investindo na expansão territorial da facção ADA.


Em Costa Barros os assaltos são bem arquitetados, principalmente se realizado pelo grupo do Playboy, que se auto-denomina como a “Série A”.

Trazem tudo que dá dinheiro, e são muito bem remunerados para isso.

Muitos participantes também fazem parte do tráfico no Complexo da Pedreira. Atuando principalmente na Favela da Quitanda (ADA) em Costa Barros.

Curiosamente a Revista Veja fez uma matéria sobre o “suposto líder” desse grupo do Playboy que realiza assaltos.

Conhecido como “Jean Piloto” ou pelo apelido de “Já Morreu”.

Já Morreu - Líder dos Assaltos em Costa Barros.
Ele costuma liderar os bondes que praticam os assaltos em Costa Barros, e como tem uma habilidade incomum na pilotagem dos veículos, ganhou esse apelido bem peculiar.

Durante um tempo a policia vem investigando os passos desse assaltante, ainda mais agora, que o mesmo ganhou notoriedade no grupo do Playboy da Pedreira.


As câmeras internas de uma carga que foi roubada por ele, flagrou toda ação dos assaltantes do Morro da Pedreira (ADA).

Desde o momento que enquadraram o motorista, até a chegada na Favela da Quitanda (ADA) para descarregar as mercadorias.

Tudo muito rápido!

Assista o vídeo da ação abaixo:



De acordo com as imagens acima, tudo é muito fácil, e quase não encontram dificuldades na hora de roubar.

A não ser os momentos que a carga trava na divisa com os rivais do Chapadão (CV).


Eles costumam atacar quando isso acontece.
Quem lembra daquele áudio entre os traficantes Playboy (ADA, Fú, Claudinho, Binho e Cabeça do Gogó de Guadalupe?

Na ocasião, o Playboy estava chamando os responsáveis do Morro do Chapadão (CV) para abrir uma trégua com a Favela da Quitanda (ADA) e para cessar os tiros de longe, que estavam matando os inocentes.

Mas a conversa não foi tranquila, pois o traficante Cabeça que é responsável pelo Morro do Gogó, se intrometeu, fez ameaças e desrespeitou até os frentes e responsáveis pelo Comando Vermelho na cidade do Rio de Janeiro.

Ouça novamente no player abaixo:



O áudio ganhou uma repercussão na mídia, e as fotos dos envolvidos foram parar nos principais jornais do Brasil.

Como todos já imaginavam, o Cabeça ganhou um "problemão", por desrespeitar um “desenrolo” particular entre os Chefes do Chapadão.

Depois do ocorrido, avisaram ao Cabeça, caso o Playboy tentasse invadir o Morro do Gogó (como foi dito) os traficantes do Chapadão não iriam auxiliar os comparsas, pois foram eles que pediram.

Hoje de manhã chegou a informação, que a hierarquia do Comando Vermelho sentenciou a morte o traficante Cabeça.

Como era apenas um frente o Morro do Gogó, o seu caso chegou até o tribunal da facção. Com aval do dono do Gogó da Ema, o traficante Dando da Mangueira, a cúpula autorizou a execução do Cabeça.


Ele foi chamado para uma reunião no Morro do Chapadão. Como de costume, quem sobe no Chapadão dificilmente sai com vida.

E foi por lá que tudo aconteceu.

Além da desobediência aos chefes do Chapadão, o seu grupo estava roubando exageradamente no entorno do Complexo do Chapadão, desagradando a liderança.


Cada roubo de pedestres, motos e carros que aconteciam na região, chamava uma nova operação para dentro do Complexo, e como de costume, os nomes do Binho, Fú e Claudinho saiam na mídia como responsáveis pelo crime.

No Chapadão está proibido roubar no entorno e chamar a Policia pra dentro da comunidade. Quando acontece algum roubo para auferir lucros para facção, sempre é longe, desovando o veículo fora dos domínios do Chapadão.


O traficante Cabeça desrespeitou, e teve o seu fim!
Logo cedo os policiais da Corregedoria Interna da Policia Civil e do 9º DP (Catete) efetuaram a captura de dois policiais que atua na Milicia de Campo Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Capturaram o Policial Civil Alexandre Castilho Gouvêa de Oliveira, o Castilho, e o PM Lucas Nunes de Oliveira, o Goiano, ambos integrantes da Milicia Liga da Justiça.

A denúncia contra eles foi feita em Junho, e o pedido de prisão foi liberado pela 16ª Vara Criminal da Capital.

Segundo a investigação do GAECO, o Miliciano Castilho controlava um condomínio que fica localizada na Estrada da Posse.


Já o Goiano é responsável por fazer as execuções de pessoas que foram julgadas pela Milicia. Ainda tem um terceiro membro, conhecido como Sidney, onde ele tem a função de levar o Goiano pra fazer as execuções.

Muito bem organizado!

Essa captura foi realizada a partir da operação Valkiria, desenrolada por um bom tempo.
Amanhã o inicio dos novos tempos no Complexo da Maré, ou quem sabe, um Dejá-vu dos velhos tempos.

Amanhã começa a saída dos militares da Força de Pacificação no Complexo do Maré na totalidade, mas precisamente nos redutos dominados pela facção Terceiro Comado Puro.

Passaram o bastão para a Policia Militar, que ficará encarregada de trazer a PAZ para os moradores, e coibir o tráfico de drogas das duas facções que dominam 80% da Maré.

Pelo menos é assim que imaginamos que deve ser.

Segundo os números divulgados pelo portal G1 da Globo, durante 1 ano e 3 meses de Força de pacificação na Maré, foram realizados mais de 83 mil ações, 674 prisões e 255 apreensões entre as 15 favelas do Complexo da Maré.

Me deixou com a pulga atrás da orelha foram os dados da “Taxa de Homicídio”.

Eles mostraram que a Força de Pacificação conseguiu reduzir os homicídios por 100 mil habitantes do Complexo da Maré, desde janeiro do ano passado.


Sobre os falecimentos. No total, foram 9 mortes no período que o Exército estava no controle da situação. Claro que teve mortes que ninguém ficou sabendo.

Cerca de 27 militares ficaram feridos em operações no Complexo da Maré, e foram apreendidos mais de 1.356 armas, drogas, munições, veículos, motos e etc.

Esses foram os dados levantados pelos Militares, e entregue para mídia.

Agora, falando no que interesse a todos os leitores.

A Força de Pacificação teve seus pontos positivos, pois conseguiram efetuar as prisões dos principais chefes do CV e TCP.

Vou mais além. O TCP foi a facção que mais sofreu com os Militares, pois perderam muitos líderes do tráfico.

Desocupação da Maré - arte do Ministério da Defesa (Foto: Matusael Jorge / Ministério da Defesa / Divulgação)
Contando de cabeça, logo de cara já capturaram o chefão Menor P (Astronauta), em seguida foram pegando todos abaixo da hierarquia. Bem como o seu irmão Zangado, e os comparsas, Drogadão, Relâmpago, Difuga, Léo 22 (pego fora da Maré) e por ai vai.

Já com a prisão do Astronauta desestabilizou a facção momentaneamente. Ficaram sem um líder contundente, e os que sobraram, começaram a bater cabeça dentro dos meandros da Vila do Pinheiro.

Astronauta sendo preso pela Policia Federal.

Abriram até uma chance para a facção ADA entrar e retomar a Vila do João e o Palace, mas a tentativa foi falha, e nessa invasão, só perderam soldados e armamento. Tiro no pé!

Mesmo assim os bandidos do Complexo do Caju (ADA) fizeram a promessa. Assim que o Exército deixar o local, irão entrar com mais força no Complexo da Maré.

Bonde do Astronauta (Menor P)
Sem medo, mas com receio de perder pela desorganização, medidas foram tomadas, novos líderes foram escolhidos e uma hierarquia se restruturou novamente.

Uma hierarquia que sai de dentro da cadeia pelas ordens do Traficante Facão, até os que estão em liberdade, como os traficantes Carrapato e T.H, que atualmente se tornaram os ditos “responsáveis”.

Facão. Chefe do Complexo da Maré (TCP).

Carrapato, praticamente um deficiente físico, que possui pouca aceitação dentro do Complexo da Maré, que procura “pegar o que é seu por direito”.

Thiago da Silva Folly, o T.H, braço direito do traficante Astronauta (Preso) fiel as suas recomendações, mas que hoje, recebe e aplica as ordens de cima, mas sempre puxando para o grupo do Astronauta, que conta com o apoio dos traficantes Chapoca e Bill, ambos presos.


Praticamente um grupo, com a mesma ideologia, mas com ações diferentes dentro do Complexo da Maré.

Diante de tudo que passaram, hoje estão fortemente armados e aguardando os próximos dias sem “Força de Pacificação” nos seus domínios.

Lá em cima contamos com o Comando Vermelho, uma organização unilateral, que contam com um comitê, que organiza, distribui e ditas as ordens da facção. Sempre batendo de frente com as autoridades e o Governo.

No Complexo da Maré são mais comportados. Se organizam como pode, se ajudam da forma que dá. Os manda-chuvas são os traficantes AlvarengaParque União– Motoboy – Nova Holanda.

Alvarenga e seus Seguranças.
Perfis parecidos, que procuram o anonimato sempre, e visam somente o lucro e pouco enfrentamento dentro da Maré.

As vezes os bandidos da Nova Holanda (CV) briga na histórica divisa com a Baixa do Sapateiro (TCP) o último reduto do TCP na linha imaginária de risco no Complexo da Maré.

Motoboy - Chefe da Nova Holanda.
Tudo indica que o Comando Vermelho não será afetado em nada. Continuaram como sempre foram no Complexo da Maré. Na deles, e sempre atento ao perigo que está do lado.

Leia a matéria sobre a rivalidade entre a Nova Holanda e Baixa do Sapateiro.



Lá na ponta do Complexo da Maré contamos com um Grupo de Milicianos que controlam as comunidades do Piscinão de Ramos e Roquete Pinto.

Foram os primeiros a receber uma Força de Pacificação (quase nada), e na saída, não deram trabalho para os militares.

Piscinão de Ramos.
Se algo aconteceu por lá, ficou no famoso “ninguém sabe, ninguém viu”. Típico!

Descendo o nosso GPS, mas fora do Complexo da Maré, contamos com o Complexo do Caju, que é dominado pela facção ADA.


Não são da Maré, mas são vizinhos de muro, e a principal dor de cabeça para os rivais do TCP.

Isso já é previsível, pois em 2009 o TCP varreu o ADA do Complexo da Maré, deixando os rivais encolhidos no esquecido Complexo do Caju.


Nunca foram um perigo no passado, mas hoje, tiram o sono do TCP na Maré.

Praticamente o conjunto de comunidades do Caju virou uma filial do Complexo da Pedreira em Costa Barros.

Leia Novamente - Complexos do Crime: Complexo da Pedreira



Normal, pois são do mesmo dono, o traficante Coroa ou Samuca, preso desde 2005 no Rio Grande do Norte.

Coroa - Preso desde 2005.
Desde então os discípulos do Coroa tentam devolver o Complexo da Maré para ele, mas sempre com investidas que não deram em nada.

Hoje, mas bem estruturados, se organizam para aproveitar uma brecha, que pode ser a única, para finalmente realizar o sonho dessa facção em retornar para o Complexo da Maré.

É uma região com um barril de pólvora com pavio curto?

Sim, se a Policia deixar!


Vamos aguardar.
Hoje pela manhã a Policia Civil iniciou a operação denominada como “Maçarico”.

Foram mais de sete meses de investigação, para identificar os principais autores dos crimes de furtos a caixas eletrônicos, roubos a instituições financeiras.

A DRF se deslocou para as comunidades do Morro do Tuiti (CV), Parque União (CV), Cinco Bocas (CV), Pica-Pau (CV), para cumprir mandados de prisão.

Capturaram os traficantes dos vulgo; Buda, TH, Madruga, Motoca, Jiló e uma mulher conhecida como Thayene. Todos envolvidos nos crimes citados acima.

Mas a captura que a policia julgou como a mais importante, foi a captura do traficante Rafael de Souza Santos, conhecido como Mingau.

Imagem meramente ilustrativa.

Mingau é acusado de ser o abastecedor da facção. Ele era encarregado de receber as drogas dos “Matutos” e organizar a distribuição nas comunidades filiadas ao Comando Vermelho.

Entre elas, ele abastecia as comunidades da Furquim Mendes (CV), Dique (CV), Kelson (CV), Pica-Pau (CV), Cidade Alta (CV), Parque União e Parque das Missões.

A policia cogita que o traficante chegava a movimentar R$ 1 milhão de reais por mês, somente nas comunidades citadas.

A operação Maçarico promete ter mais desdobramentos, mas a policia considera como positivo o saldo de hoje, que quebrou uma amarra do movimento financeiro do Comando Vermelho, principalmente fora da cidade do Rio de Janeiro.

Imagem meramente ilustrativa.
Parece que as autoridades estão começando a entender o jogo, e estão mirando somente nos braços financeiros e nos fornecedores de drogas e armas, pois são eles que financiam essa guerra sangrenta por territórios no Rio de Janeiro.

Caçar bandido aleatório em cima dos morros não gera resultados. Porque quando sai um, tem dezenas na fila pra substituir.

Lembrando que.. o grande problema de segurança no Rio de Janeiro são as armas de grosso calibre, que atravessam as fronteiras do nosso país sem problemas.

O Comércio de drogas será difícil acabar, porque mundialmente falando, já assumiram que é uma guerra perdida.

Seca a fonte primeiro, que ninguém vai ter onde beber.

Já é um avanço!